Marli Takeda

 
Artista Plástica, brasileira, com graduação em Artes pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo e cursos de extensão universitária na Escola de Comunicação e Artes – ECA-USP.
Extensão universitária em Palavra e Imagem (Carga horário: 105h).
Escola de Comunicação e Artes -USP – Prof. Geraldo Souza Dias – 2011 – 2012.
Extensão universitária  em Arte Contemp.  Brasileira: A Formação de um Contexto. (Carga horária: 105h). Escola de Comunicação e Artes-USP. Prof. Martin Grossmann – 2002 – 2003.
Extensão universitária em Arte-Educação e Museologia. (Carga horária: 105h). Escola de Comunicação e Artes – USP.  Prof.ª Cristina Rizzi – 2002 – 2002.
Extensão universitária em A Filosofia da Arte em Discussão. (Carga horária: 105h). Escola de Comunicação e Artes – USP.  Prof. Marco Giannotti -2001 – 2002.
Extensão universitária em Teorias da Arte na Era da Globalização. (Carga horária: 105h). Escola de Comunicação e Artes – USP.  Professor – Neide Marcondes de Faria – 2001 – 2001.
Voluntária social do MAM de São Paulo.
Principais exposições individuais e coletivas
2013  - MUBE – Exposição internacional Mail Art Cupcake –07/12/13 – 30/12/13.
 - Mosteiro de São Bento de São Paulo – Instalação/Intervenção + apropriação em Adesivos – Partitura de Canto Gregoriano – (prevista para 2013) Curadoria Oscar D’Ambrosio.
 - Oficina de Arte – Festival Praça da Nascente – Movimento Ocupe & Abrace – 20/10/13.
- Mosteiro de São Bento de São Paulo – Iluminura da Carta de Profissão feita em pergaminho animal – 12/10/13. (Convidei a caligrafia Dora Buttger para escrever o  título da iluminura)
   - Metrô de São Paulo (Clínicas) – Individual – Instalação/Intervenção – Dragão, com a  participação do público.08/07/13. Curadoria de Oscar D’Ambrósio.
   - Mosteiro de São Bento de São Paulo – Participação na mostra – China Cristã:
  História, paisagem, arte e cultura – Instalação – Dragão Chinês – 05/06/13 a 05/07/13.
             - Oficina de Arte – Praça Paulo Schiesari  Movimento Boa Praça – 07/04/13.
 - ICC School – Tokyo – Japão – Indiv. Instalação -  Sakura no Hana (Flor de cerejeira) – (Ginza-Tokyo) – 06/01/2013.    
2012 - Mosteiro de São Bento de São Paulo- Indiv. Instalação e Pinturas- Percurso,
Flexibilidade e Desencobrimento – 9/12/2012 a 06/01/2013 – Curadoria Oscar D’Ambrosio.
             - Metrô de São Paulo (Clínicas) – Indiv. Instalação/Intervenção, com a participação do público – Exaltação –01/12/12 – 28/02/2013. Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
   - Metrô de São Paulo (São Bento) – Indiv.  Instalação/Intervenção, com a participação  do público – A Partitura do Jardim – 10/03 – 31/05. Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
– Metrô de São Paulo (Clínicas) – Indiv. Instalação/Intervenção com a participação do público – Natureza – 10/01 – 31/03. Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
– Centro Cultural Mestre de Assis – Coletiva Grupo Oka -Embu das Artes (São Paulo, Brasil) – Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
- Salão de Arte Ambiental – Pint. e Instalação  (Bento Gonçalves, Brasil)
   - Espaço expositivo da Biblioteca Nadir Kfoury, da PUC Spreekwoorden,
Os Provérbios Holandeses – 06/03/12 – 31/03/12. Exp. Col. Coordenado pelo professor Geraldo Souza Dias – ECA-USP – Objeto -  Exp.Col. (São Paulo, Brasil)
2011  - Museu do Café – UNESP – Bússola – coletiva do Grupo Oka (Botucatu) -10/02 a 10/03, Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
  - Espaço de Arte Tolsi – Exp. Col. – (São Paulo, Brasil) – 15/02 a 15/08.
 - Galeria Deco -”Florestas”- coletiva do Grupo OKa –(S.P-Brasil)-17/03 a 17/04. Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
- Lateinamerika Institut – LAI – Exp. Col.– (Áustria, Viena) – 03/05 a 10/05. Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
 - Museu de Montemor – Exp. Col. (Portugal, Montemor-0-Novo) – 12/05 a 19/05
- Casa do Brasil – exp. Col. (Espanha, Madri) – 23/05 a 28/05
- Metrô de São Paulo – Col. Grupo OKA – Florestas–Estação Sé  – 10/06 a 30/06/2011
- Metrô de São Paulo – Col. Grupo Oka –Florestas- Estação Largo Treze –10/07 a 30/07/2011.
 - Metrô de São Paulo – Col. Grupo OKA – Florestas – Est. V. Madalena –10/08 a 30/08/11.
 - Museu aberto da sustentabilidade Praça Victor Civita –Coletiva Grupo Uma- Florestas- (São Paulo, Brasil) – 04/06 a 17/07/2011
 - Centro Cultural Mestre de Assis – Exp. Col. – (Embu das Artes, Brasil) – 3ª Exposição Nikkei  de Arte – 10/06 a 30/06.
 - Museu Inimá de Paula – Exp. Col. – (Belo Horizonte, Brasil) – 14/07 a 28/08
  - Centro Cultural Mestre Assis - “Embu de todos os tempos”- col. Oka (Embu das Artes) – 16/07 a 18/08
 - Museu do Café – UNESP Campus de Botucatu –“Florestas” –( Botucatu) – coletiva Grupo  Oka- 16/8 a 16/09/2011.
  - UNESP-reitoria – “Poesia de Yu Xuanji”- Col. Grupo OKA – (São Paulo) – 27/10 a 25/11/2011.
 - Laboratório de Arte –“Florestas”-coletiva Grupo OKA – (Franca ) –05/11 a 30/11/2011
  – Metrô de São Paulo – Estação Clínicas – Individual- Intervenção/Instalação com a participação do público. ( reaproveitamento de adesivos) de 10/12 a 10/02/2012.
 - VII Salão de Artes da Marinha –Exp. Col. (São Paulo, Brasil) -
2010  - 4ª. Grande exposição de artes Bunkyo – Exp. Col. – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de  Assistência Social  (São Paulo, Brasil)
   - Paço Municipal Prefeito Carlos Piffer – Exp. Col. (Amparo, Brasil)
- Dolmen Gallery – Exp. Col. – (Praga, República Tcheca)
   - Gallery Berlin am Meer – Exp. Col. – ( Berlin, Alemanha)
   - Salão de Arte Ambiental – Exp. Col.-  (Bento Gonçalves, Brasil)
2009   - MAP – Museu de Artes de Pampulha – Exp. Col.-  Menção Honrosa – (Belo Horizonte, Brasil)
- Museu Pablo Neruda – Exp. Col.-  (Santiago, Chile)
  - Engenho Nica Preta – Exp. Col.-  (São Paulo, Brasil)
 - Brahma – Exp. Col. “Trajetória do Carnaval Brasileiro” (São Paulo, Brasil)
1989 - Centro Cultural de São Paulo – Exp. Col.-  (São Paulo, Brasil)
   - Centro de Professorado Paulista – Exp. Col.-  (São Paulo, Brasil)
 
 
TEXTOS
 
Artista plástica atuante na cidade de São Paulo.
Minha conhecida e amiga Marli em curso de pós-graduação por mim ministrado, timidamente expôs que apreciaria poder estudar e executar seus trabalhos com formas fractalizadas. Dedicou-se a isso, mas aconteceram mudanças em sua poética que permitiram que Marli percorresse neste mundo Hipermoderno este novo Mundo Líquido.
Percorrendo a geografia dos seus trabalhos, observa-se que Marli intencionalmente penetra em Instalações e Interferências. De modo audacioso, a artista parte para a arte na Praça em São Paulo e atrai para sua performance especialmente crianças e um siginificativo objeto torna-se a expressão do Movimento Boa Praça.
Suas instalações erigem e instalam novos mundos. Marli soube dialogar com o entorno quando realizou a sua interferência/instalação no Metrô Estação Clínicas, em São Paulo, SP, e uniu natureza e gente ao atuar no suntuoso espaço do Mosteiro de São Bento, na mesma cidade.
A artista também formatou dragões no mesmo Mosteiro e trabalhou o tema no metrô e em exposição no Japão. Consciente deste procedimento e da simbologia neste Mundo Líquido em que sobrevivemos, Marli reaproveita elementos, formas e objetos de outra exposição e invade com astúcia, mas com finesse e gentileza outros espaços, talvez mais consagrados e significativos.
Mas há que se notar que suas telas expostas no Convento ainda guardam deliciosamente as formas fractalizadas. A obra desloca-se sobre si mesma em transfiguração de imagens.
Assim é o trabalho de Marli Takeda. Ele não nasce para uma mera fruição estética, mas como apelo que pretende refundar a sistemática das coisas, assim como a posição do homem diante da obra de arte.
 
NEIDE MARCONDES, 2013
Associação Brasileira dos Críticos de Arte (ABCA), Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA) e Professora Titular da Unesp de História e Teoria da Arte, Livre-Docente pela Unesp e Doutora em Artes pela USP.
 
EMBALAR NAS CORES
 
“A arte de Marli Takeda se mostra como um ballet de cores. Às vezes percebemos formas estelares, outras parecem ser imagens microscópicas que nos colocam diante da problemática da vida e de suas escolhas, o saber viver.
A reflexão que a artista promove com sua arte, induz a uma explosão de ideias e sentimentos que só os puros de coração podem compreender. Flexibilidade é a via de acesso à luz de uma estética suave e mística. Trata-se de coerência, concordância de sua mente e expressão artística.
Nosso mosteiro teve a honra de acolher sua arte e o melhor, oferece-la ao mundo.”
 
IR. JOÃO BAPTISTA BARBOSA NETO, OSB
Produtor Cultural do Mosteiro de São Bento de São Paulo
 
A IMAGEM GANHA SOM
 
As cores e os movimentos sugeridos pelas obras plásticas de Marli Takeda instauram uma espécie de harmonia musical em quem observa os seus trabalhos. A proposta visual que ela gera impede uma relação de indiferença e se caracteriza por um convite a uma complexidade.
O grande desafio de quem se detém sobre as suas obras e não se deixar cativar apenas pelos detalhes, mergulhando no conjunto que cada tela oferece. São dois movimentos que se articulam nos processos de composição da artista: um que estimula a ver de perto a construção proposta; outro, mais distante, em que o todo é o essencial.
As duas propostas são complementares e se articulam no sentido de permitirem a quem se debruça sobre as pinturas a imersão em novos mundos. Há alusões, por exemplo, ao universo biológico ou das profundidades abissais. Mas isso é o menos importante. A grande questão está no delicado processo do pensar que acompanha o fazer que se vê.
Existe em Marli Takeda o erguer progressivo de um procedimento mental em que as criações se articulam numa jornada em que o espontâneo se faz presente, mas é colocado em forma de resultado graças a um progressivo esmero na técnica e num fascinante jogo de cores e gestos que parecem ganhar som a cada novo olhar.
 
OSCAR D’AMBROSIO integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA-Seção Brasil). É doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie e mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Unesp.