Luis Sun

SUN CHI HWA (LUIS SUN)
 
[email protected]
 
Nascido: 1932 – China
 
Formado pela Faculdade de Comunicação e Cultura Taiwan – China.
 
Trabalhei em Desenho Publicitário e planejei Comunicação de Cultura e Pintura.
 
Em 1971, imigrei para o Brasil fixando residência em São Paulo.
 
Trabalhei no comércio autônomo.
 
Em 1993 – Retornei `a pintura.
 
1993 – Membro da Associação de Artistas Plásticos Chineses do Brasil.
 
2005 – 2006 – Vice-presidente da Associação de Artistas Plásticos Chineses do Brasil.
 
2008 -2009 – Curadoria do Parque Avenida Galeria de Arte – São Paulo.
 
20015 – Juiz de jogos de pintura de crianças chinesas.
 
 
 
 Principais Exposições:
 
Individuais:
 
 
 
1995 – Exposição Espaço  Cultural Banco do Brasil  e direção do plano do banco _  “Tela do Cliente” – São Paulo – SP
 
2000 – Livraria Cultural – Conjunto Nacional – São Paulo – SP
 
2000 – Espaço Cultural Banco Central do Brasil – São Paulo – SP
 
2002 – Biblioteca Mário de Andrade – São Paulo – SP
 
2003 – Conjunto Cultural da Caixa – São Paulo – SP
 
2004 – Espaço Cultural do INCOR HC – São Paulo – SP
 
2007 – Arte e Vida para Transformação “Espaço Cultural do Munícipio de Mauá – SP
 
2010 – Espaço Cultural da Sociedade Antroposofica  São Paulo – SP
 
 
 
Coletivas, Salões Convidados
 
 
 
1997 – 26º  Salão BUNKYO (Associação Cultural Brasil-Japão) São Paulo – SP
 
1999 – Centro Cultural de Bauru (exposição reuniu paulistanos e mineiros) – Bauru – SP
 
1999 – II Salão Nacional de Pintura Contemporânea  Brasileira – São Paulo – SP
 
1999 – 2º Salão de Artes Plásticas Volkswagem Clube – São Bernardo do Campo – SP
 
1999 – Todos, um por um – Fundação Nacional de Artae – FUNARTE – São Paulo – SP
 
(Em parceria com Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo – APAP)
 
1999 – Outros tempos  - SESC Consolação – São Paulo - SP
 
2000 – IV Concurso de Artes Plásticas – Galeria Mali Villas Boas  e Prêmio Especial – São Paulo – SP
 
2001 – O Sagrado e o Profano AAPC FUNARTE – São Paulo – SP
 
2001 – Aquarela do Brasil (A imigração São Paulo) AAPC – São Paulo – SP
 
2001 – XI Salão de Arte ACM Pinheiros – São Paulo  -  Secretaria Municipal Cultural de São Paulo – SP
 
2002 – De mãos dadas – Pinturas brasileiras na Bavaria – Alemanha
 
2002 – III Salão Nacional de Pintura Contemporânea no Conjunto Cultural da Caixa Econômica Federal – São Paulo – SP
 
2003 – Espaço Cultural da Marinha “Algodão do Filho do Sol”  - São Paulo – SP
 
2003 – Espaço Cultural PRODAM “Algodão do Filho do Sol” – São Paulo – SP
 
2004 – Brasil Arte Show MUbe – Sao Paulo – SP2005 – São Beneficente Retalho de Solidariedade – Universidade de Belas Artes de São Paulo – SP
 
2006 – 11º Salão  Paulista de Arte Contemporânea – MAC – São Paulo – SP
 
2016 – Galeria Spazio Surreale
 
 
 
Obras em Acervo Público
 
 
 
1995 – Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo CCRMV – São Paulo – SP
 
1997 – Museu de Cultura de Overseas Affrais Comission – Taipei – Tawan – ROC
 
1999 – Obra em Espaço da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootécnica da USP – A missão do médico veterinário – 03 telas séries – São Paulo – SP
 
2002 – Palácio Nove de Julho da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – SP
 
2002 - Biblioteca Mário de Andrade – São Paulo – SP
 
2003 – Justiça Federal Forum de São Paulo – SP
 
2007 – Teatro Municipal de Mauá – SP
 
2008 – Espaço Cultural Banco Central do Brasil – São Paulo – SP
 
2011 – Central Cultural Taipei (Fundação Maravilhosa 100 anos) – São Paulo – SP
 
 
 
Edição
 
 
 
2000 – Julio Louzada Vol. Nº 12 B  página 91
 
2000 – Arte&Artista 2000 – página 130 (Arte Livro)
 
2001 – Publicação completa de todas as  minhas obras em edição especial na revista; Sua  boa estrela de Mercedes Benz nº 134 ano XXIV – Abril – 2001
 
2001 – Selecionado pela Gonçalvez S/A Indústria Gráfica, participando entre 12 artistas do calendário do ano de 2002 mês de abril.
 
2002 – Publicação do Diário Oficial do Estado de São Paulo , páginas 1 e 3
 
2004 – Brasil Art Show  páginas 190 – 195 (Arte Livro)
 
2005 – Itália – Brasil  Arte 2005  páginas 372 -375 (Arte Livro)
 
2006 – Leilão de Arte Tablean
 
 
 
Entrevistas e Publicações
 
 
 
1999 – J.C. Cultura – Bauru – SP
 
2000 – Comentário no Jornal Folha de São Paulo
 
2000 -  Comentário no Jornal Estado de São Paulo
 
2000 – Comentário na Revista Veja – São Paulo
 
2000 – São Paulo  - Revista Turista
 
2001 – Publicação completa de suas obras em edição especial na revista  Sua Boa Estrela
 
2001 – Mercedes  Benz nº 134 ano XXIV – Abril 2001
 
2001 – Investigante de Canal 13 : arte
 
2001 – Diário Oficial do Estado de São Paulo
 
2003 – Programa Mais Você – Ana Maria Braga – TV Globo
 
2003 – Jornal da Tarde – SP
 
2003 – Jornal Diario de São Paulo
 
2003 – The Central News Agency (CNA)
 
2003 – Comentário no Jornal O Estado de São Paulo
 
2003 – Comentário no Guia da Folha de São Paulo
 
2007 – The Brasilian posto.Executive MBA. Word Wide Brasil
 
A obra de Sun Chi Hwa está intimamente ligada ao informalismo (ou arte abstrata). Com suas obras, o artista transcende a dimensão da representação figurativa. Sua ação artística é marcada pela expressão espontânea: o processo de criação desenvolve-se de modo dinâmico e livre, a partir de cores e formas, enquanto o gesto pictórico define a composição da obra. Sua arte apresenta características  milenares da arte chinesa tradicional: a síntese expressiva e o gestualismo caligráfico, muito frequentemente inspirada e transformada pelo exuberante colorismo brasileiro.
 
 
 
Por Eliana De Simone, historiadora e crítica de Arte, docente na Universidade Heilberg, Alemanha
 
 
 
 
 
 
 
Meditação, a fonte de criação
 
 
 
 
 
Também no taoísmo, nada é mais importante do que meditar. Meditar horas e horas seguidas sobre uma verdade – assim como se comporta Luís Sun com suas ideias. Meditar é  um exercício mental a que os orientais dão grande importância .  Alguns monges chegavam a permanecer sentados imóveis dias a fio, envoltos `a quietude. Outros meditavam sobre coisas da natureza. Sobre água, por exemplo, um elemento frágil , que se deixa submeter , mas que também é capaz de corroer solidas rochas. Ou sobre as montanhas – fortes e imponentes, e no entanto bondosas, permitindo que as vegetações cresçam em sua superfície e dela se alimentem”, escreve.
 
Essa é a posição taoísta , em que se prega a simplicidade e abnegação . O artista chinês representava a água e a  montanha , num espirito de reverencia. Seus quadros eram pintados em seda e guardados em preciosos recipientes, de onde eram retirados apenas para serem contemplados. Essa era a finalidade da arte, que não tinha intenção de dar lições , nem de fazer decoração, mas de ser um objeto que dê satisfação para o próprio artista.
 
Assim também se comporta o artista Luís Sun, que mesmo se considerando “pós-modernista” conserva quase intactos as características e o pensamento de seus antepassados.
 
                                                              Toshimitsu Itokazu.
 
Jornalista e Editor